sábado, 9 de outubro de 2010

Benfica admite poder faltar Clássico

SAD entende que a integridade física dos seus jogadores tem sido sistematicamente posta em causa nas deslocações à cidade do Porto. Em última instância a equipa pode não comparecer no Dragão, ferindo de morte o campeonato.

O que têm em comum o dia 22 de Março de 1998 e o dia 10 de Setembro de 2010? Em ambas as ocasiões, separadas por quase 12 anos, o Benfica jogou em Guimarães, para o campeonato, e o seu autocarro foi apedrejado à passagem pela cidade do Porto. Dois exemplos dos actos de vandalismo que têm sido recorrentes nos últimos anos sempre que as águias se deslocam à Invicta ou, em alguns casos, ali pernoitam para jogar em outras cidades do norte do país.

A 23 de Setembro de 2005 o vidro traseiro do autocarro encarnado foi partido durante a madrugada; a 10 de Janeiro de 2010 o veículo das águias foi vandalizado durante um treino na Maia; a 1 de Maio de 2010 o autocarro foi apedrejado na chegada ao Porto, na véspera do clássico, e no dia seguinte, no percurso para o Estádio do Dragão, novo ataque com pedras e bolas de golfe que por pouco não atingiu Pablo Aimar.


A SAD do Benfica entende que, além dos prejuízos materiais, a integridade física dos seus profissionais tem sido sistematicamente colocada em causa por estes actos de vandalismo, preocupação manifestada recentemente numa audiência com o ministro da administração interna, Rui Pereira, e abordada na entrevista de Luís Filipe Vieira à Antena 1. «Peço a Deus que não nos apedrejem o autocarro, senão podem ter uma surpresa bastante grande...», atirou, numa declaração passível de várias leituras.

Em última instância, caso se repitam estes incidentes, a equipa do Benfica pode não comparecer no Dragão a 7 de Novembro, como histórica forma de protesto. Uma falta que, segundo o artigo 60 do regulamento disciplinar, dificilmente seria justificável e implicaria sanções - derrota, subtracção de três pontos e multa de 2500 a 10 mil euros - mas que deixaria o campeonato ferido de morte.

Sem comentários:

Enviar um comentário